‘Sal do Himalaia é puro marketing’, afirma nutricionista ‘Sal do Himalaia é puro marketing’, afirma nutricionista
Em artigo publicado nas redes sociais, o nutricionista Thiago Bronze afirma que o sal do himalaia é puro marketing  e alerta para os riscos... ‘Sal do Himalaia é puro marketing’, afirma nutricionista

Em artigo publicado nas redes sociais, o nutricionista Thiago Bronze afirma que o sal do himalaia é puro marketing  e alerta para os riscos que o condimento pode trazer a saúde. Leia o artigo abaixo.

 

Depois de encontrar estas imagens sobre a extração do sal rosa, resolvi pesquisar sobre o mesmo, e o resultado não poderia ser mais polêmico.

Obviamente consumir sal rosa do himalaia é puro modismo, aliás o sal não vem do himalaia, mas sim do Paquistão. Agora pense comigo, sal rosa do Paquistão venderia bem? Acho que não! Coloque então a palavra himalaia e cobre uma fortuna por isso, simples!

Edit: eu sei que o Paquistão “faz parte” do Himalaia, mas ele não é o Himalaia sozinho, a escolha do nome é puro marketing.

Ele realmente possui mais minerais que o sal comum, porém continua sendo uma quantidade insignificante. Para esses minerais atingirem concentrações ideais e surtirem efeito seria necessária uma enorme concentração de sal, o que não é viável. Continue apostando nas frutas legumes e verduras.

Sobre a questão do sódio, pura balela! Ele possui a mesma concentração que o sal marinho, que é apenas 100 mg a menos que o sal refinado.

Sal rosa tem muito flúor, que é altamente tóxico, prejudicando o funcionamento do nosso cérebro (apesar das pastas de dente serem lotadas de flúor achei que esse dado era relevante), será que vale a pena o risco?

Agora olhe nas fotos como é a extração do sal, olha o estado do local, das pedras de sal e principalmente dos funcionários. Onde a necessidade de alimentação “limpa” e idealizada está nos levando? Degradação do meio ambiente e trabalho praticamente escravo de seres humanos. Para que? Por um produto cheio de areia, sujeira e contaminantes.

E aí gasta-se horrores com transporte para importa-lo e leva-lo até a sua mesa, sendo que era só consumir o sal refinado com moderação. Isso quando espertões não pegam o sal grosso comum e jogam tinta rosa.

Finalizando, o sal que consumimos sofre adição de iodo para controlar o Bócio, recomendação da OMS – organização mundial da saude, e no Brasil a adição de iodo é obrigatória. Ou seja, é um sal feito propriamente para nossa população, então por que consumir um sal que vem do outro lado do mundo, que custa 5 vezes mais caro, detona o planeta e ainda não traz benefício algum?

Simples, use o sal normal/marinho com moderação! é muito mais saudável, seguro, ecológico e econômico.

Thiago Bronze – Nutricionista

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *