"Se não for o Bruno, defendo apoio ao Marcio França", crava tucano Beto Vidoski | Bastidor Político
“Se não for o Bruno, defendo apoio ao Marcio França”, crava tucano Beto Vidoski “Se não for o Bruno, defendo apoio ao Marcio França”, crava tucano Beto Vidoski
Por Leandro Amaral   O vice-prefeito de São Caetano Beto Vidoski, que comandou o PSDB na cidade até o ano passado, revelou que ele... “Se não for o Bruno, defendo apoio ao Marcio França”, crava tucano Beto Vidoski

Por Leandro Amaral

 

O vice-prefeito de São Caetano Beto Vidoski, que comandou o PSDB na cidade até o ano passado, revelou que ele e seu grupo político defendem o nome do vice-prefeito paulistano Bruno Covas (PSDB) para encabeçar a chapa tucana na disputa do governo paulista deste ano.

“Agora se não for o Bruno, defendo que o PSDB apoie o nome do vice-governador Marcio França”, cravou.

Marcio é do PSB, partido que já foi “casa” de Beto por quatro anos, antes de se eleger vereador pelo tucanato em 2012.

França já está com a pré-campanha em curso. Anunciou em janeiro a adesão de três legendas à sua base de apoio: PR, Solidariedade e Pros. E deve anunciar mais, pois PRB, PV e PPS estão com diálogo avançado com o socialista.

Por outro lado, o PSDB vive um dilema. Hoje, a legenda tem três nomes cotados, sendo o prefeito de São Paulo, João Doria, o favorito. Para isso, deve renunciar o comando da Prefeitura paulistana até abril.

Já o prefeito José Auricchio Jr, atual presidente dos tucanos em São Caetano, defendia o nome do ex-governador José Serra que, por sua vez, já disse que não disputará o pleito de outubro.

Auricchio disse nos últimos tempos que Doria deveria seguir na gestão paulistana e cumprir o mandato até o final. E, quando surgiu a informação de um suposto convite para Marcio França se filiar ao PSDB, o prefeito de São Caetano foi um dos que fizeram questão de compartilhar e viralizar a informação nas redes de contato.

Futuro?

Beto foi “intimado” pelo presidente estadual tucano, Pedro Tobias, a disputar uma cadeira de deputado este ano. Porém, segundo os bastidores, aguarda um sinal do governo local (leia-se Auricchio). Nas próximas semanas, Beto deve se reunir com Pedro Tobias.

PSB

Por outro lado, porém, Beto, que já foi do PSB, teria sido sondado por alguns mensageiros socialistas se toparia voltar ao ninho. Como acontece em todo período pré-eleitoral, o nome dele é citado no PSB. A sinalização pró-Marcio pode ser um sinal dessa reaproximação.

 

Assista aqui