Após definição judicial, Kiko tenta mostrar 'para que veio' | Bastidor Político

Bastidor Político

A notícia por trás da notícia

Após definição judicial, Kiko tenta mostrar ‘para que veio’ Após definição judicial, Kiko tenta mostrar ‘para que veio’
Por Samuel Boss Após a definição judicial que colocava na berlinda o prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSB), o político resolveu mostrar para... Após definição judicial, Kiko tenta mostrar ‘para que veio’

Por Samuel Boss

Após a definição judicial que colocava na berlinda o prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSB), o político resolveu mostrar para que veio. Era esperado que o chefe do executivo mudasse sua postura política na cidade. A situação de passividade de 2017 se dava pela fragilidade jurídica, na qual ele estava enfrentando, agora Kiko resolveu literalmente peitar seus adversários ou ex-aliados.

Muito se questionava nos bastidores sobre a atuação acima do tom do secretário, João Mancuso (PSB), porém, com o fato narrado pelo jornal Folha de Ribeirão Pires, na qual relata uma discussão entre Kiko e o vereador da base, Danilo da Sopa (PSB), a leitura que se faz, é que o secretário está em harmonia com o pensamento do prefeito.

Não há nenhum inocente ou enganado na Estância. Quem conviveu politicamente com o prefeito em Rio Grande da Serra, sabe bem que Kiko nunca foi de atender ou ter conversas periódicas com vereadores, os acordos foram feitos pré e pós-eleições, e segue aquilo que foi acordado. Não é da personalidade do prefeito remendar, rever ou atender reivindicações de vereadores. Isso é tido como erro por alguns e por outros visto como vantagem para se auto-preservar.

Kiko chegou de férias e colocou o cajado na mesa para tentar reverter a inércia administrativa de 2017, para isso, tenta separar aliados de adversários. É o famoso “vamos ver quem tá comigo nessa”, vereadores de seu partido ou do arco de aliança de seu domínio não terão vida fácil. Administrar um mandato sem proximidade com a prefeitura e ainda ter uma indefinição partidária  frente não é nada promissor. Quem tem um partido para chamar de seu, que se apegue nisso.

Minha leitura é que haverá duas possibilidades nessa atitude do prefeito:

1- Os vereadores e o primeiro escalão vão entrar no estilo de gestão do prefeito e tentarão ajudar no processo que eles ajudaram a estabelecer na cidade, e por fim tentar apresentar respostas para o anseio da população.

2- A falta de diálogo abrirá um racha no governo, e o vice, Gabriel Roncon (PR) será protagonista de um pedido dos políticos “esquecidos”, que lidere um voo solo em 2020.

Conhecendo Ribeirão, a alternativa dois está sendo desenhada na cabeça de muitos.